Blog da Editora Dialética

Pesquisadora Adriana do Carmo Figueiredo lança livro “Narrativas de vida de Antígona (Sófocles), Sor Juana e Olympe de Gouges: a Justiça no divã da Análise do Discurso”. Obra aborda direitos das mulheres e outros temas jurídicos

Adriana do Carmo Figueiredo é pesquisadora com trabalhos reconhecidos nacional e internacionalmente, é doutora em Estudos Linguísticos pela Universidade Federal de Minas Gerais e mestre em Estudos Literários também pela UFMG. Além disso, é graduada em Letras, bacharel em Direito, advogada inscrita na OAB-MG e especialista em Direito Constitucional.

O livro “Narrativas de vida de Antígona (Sófocles), Sor Juana e Olympe de Gouges: a Justiça no divã da Análise do Discurso”, enquanto tese de doutoramento, recebeu duas premiações em concursos importantes. No Prêmio André Berten, a pesquisa ficou em primeiro lugar no concurso de teses e dissertações, prêmio concedido pela Rede Interdisciplinar de Estudos sobre Violências – RIEV; a tese também recebeu o Prêmio Ana María Harvey 2021, concedido pela Associação Latino-americana de Estudos do Discurso – ALED.

Essa pesquisa notável foi desenvolvida pela professora Adriana do Carmo Figueiredo, doutora em Estudos Linguísticos pela Universidade Federal de Minas Gerais e mestre em Estudos Literários também pela UFMG. É válido destacar que a pesquisadora publicou trabalhos reconhecidos nacional e internacionalmente, além disso, ela possui uma formação acadêmica ampla e uma longa trajetória profissional. Adriana é graduada em Letras, bacharel em Direito, advogada inscrita na Ordem dos Advogados do Brasil de Minas Gerais – OAB-MG e especialista em Direito Constitucional.

No campo profissional, atua como docente há mais de 25 anos no Ensino Superior e na Pós-graduação. Atualmente, ela leciona na FUNDAÇÃO CEFET-MG e nos cursos de graduação e pós-graduação em Direito do Instituto de Educação Superior Latino-americano – IESLA e Escola Superior de Justiça – ESJUS.

Ademais, Adriana divide seu tempo ainda com o trabalho voluntário como docente no Programa Português como Língua Estrangeira – PLE, vinculado à Secretaria de Relações Internacionais – SRI e ao Departamento de Linguagem e Tecnologia – DELTEC do CEFET-MG.

A autora nos conta que a decisão de transformar a pesquisa em livro surgiu logo após a defesa da tese, em razão do retorno positivo que recebeu da sua orientadora, a Profa. Dra. Ida Lucia Machado, e da banca que avaliou sua pesquisa.

Essa decisão se tornou ainda mais forte após as premiações que recebi nos concursos de tese, pois foi nesse momento que me surgiu a ideia de que a minha pesquisa no formato de livro poderia (poderá) trazer um alcance de leitores ainda maior, gesto necessário para o meu projeto de vida que é o da retribuição social.   

Adriana do Carmo Figueiredo é doutora em Estudos Linguísticos pela Universidade Federal de Minas Gerais e mestre em Estudos Literários também pela UFMG. Além disso, é graduada em Letras, bacharel em Direito, advogada inscrita na OAB-MG e especialista em Direito Constitucional.

“Narrativas de vida de Antígona (Sófocles), Sor Juana e Olympe de Gouges: a Justiça no divã da Análise do Discurso” é um livro desenvolvido a partir dos questionamentos que Adriana se propôs a fazer sobre os sistemas de poder. Para a pesquisadora, a operacionalização do discurso hegemônico e o consequente processo de exclusão de grupos minoritários na própria escrita da história trazem os pilares e os fundamentos do direito.

Fui motivada a pensar em uma possível escrita das fontes do Direito pelas narrativas literárias e pelas vozes enunciadoras de mulheres ou personagens que deixaram marcas enunciativas sobre a noções de justiça.

Adriana do Carmo Figueiredo é doutora em Estudos Linguísticos pela Universidade Federal de Minas Gerais e mestre em Estudos Literários também pela UFMG. Além disso, é graduada em Letras, bacharel em Direito, advogada inscrita na OAB-MG e especialista em Direito Constitucional. / Foto: Arquivo Pessoal.

O livro conta com mais de trezentas páginas, divididas em cinco capítulos que trazem uma discussão detalhada a fim de discorrer, dentre muitos outros aspectos, sobre os direitos das mulheres. Assim, a pesquisadora já apresenta na capa da obra a essência do seu livro.

Construí uma teoria triangular com as vozes de Antígona, Sor Juana e Olympe de Gouges, então, eu falo de uma pirâmide feminina no meu texto. A capa mostra exatamente a proposta da tríade que foi desenvolvida na minha análise.

Adriana do Carmo Figueiredo é doutora em Estudos Linguísticos pela Universidade Federal de Minas Gerais e mestre em Estudos Literários também pela UFMG. Além disso, é graduada em Letras, bacharel em Direito, advogada inscrita na OAB-MG e especialista em Direito Constitucional.

Nesse sentido, Adriana, que possui diversas outras publicações em livros, capítulos de livros, artigos, periódicos científicos e anais de congressos nacionais e internacionais, conta que a sensação ao publicar a obra “Narrativas de vida de Antígona (Sófocles), Sor Juana e Olympe de Gouges: a Justiça no divã da Análise do Discurso” é de estar realizando um projeto de vida, pois a pesquisa é, na verdade, também o reflexo das narrativas de vida dela.

É também o reflexo das minhas narrativas de vida como mulher, mineira, nascida no interior de Minas Gerais, que se deslocou para a cidade grande para estudar, para se tornar uma pesquisadora, e que sempre teve uma inquietação sobre a representatividade feminina nos núcleos científicos e acadêmicos.

Adriana do Carmo Figueiredo é doutora em Estudos Linguísticos pela Universidade Federal de Minas Gerais e mestre em Estudos Literários também pela UFMG. Além disso, é graduada em Letras, bacharel em Direito, advogada inscrita na OAB-MG e especialista em Direito Constitucional.

A obra apresenta uma linguagem clara que, embora discuta sobre aspectos densos do Direito, se vale de elementos da Literatura tanto em relação à profundidade do texto quanto na diagramação geral do livro, o que Adriana afirma ter sido o mais complexo da produção.

O maior desafio foi, sem dúvida, explicitar em linguagem clara a minha abordagem teórico-metodológica que envolve três grandes campos do conhecimento: a Literatura, o Direito e a Linguística.

Adriana do Carmo Figueiredo é doutora em estudos linguísticos pela Universidade Federal de Minas Gerais e mestre em estudos literários também pela UFMG. Além disso, é graduada em letras, bacharel em direito, advogada inscrita na OAB-MG e especialista em direito constitucional.

Contudo, a pesquisadora publicou ainda seu livro em todos os formatos oferecidos pela Editora Dialética, impresso, e-book e áudio-book. Dessa maneira, ela consegue atingir um publico maior de leitores, fomentando também a inclusão e os cuidados com o meio ambiente.

A Editora Dialética preza a inclusão e sustentabilidade, por isso oferece a publicação em e-book, importante para a inclusão digital e para tornar a leitura mais rápida e dinâmica, a publicação em formato de áudio-book, que é uma ferramenta extremamente relevante para que pessoas com deficiência e/ou dislexia possam se inserir como leitoras, e a publicação por demanda, que ajuda a combater os impactos ambientais por meio do uso consciente do papel.

Publicar a minha tese em três formatos de leitura representa a realização de um grande sonho! Sem dúvida, é uma forma de democratizar o acesso ao conhecimento.

Adriana do Carmo Figueiredo é doutora em Estudos Linguísticos pela Universidade Federal de Minas Gerais e mestre em Estudos Literários também pela UFMG. Além disso, é graduada em Letras, bacharel em Direito, advogada inscrita na OAB-MG e especialista em Direito Constitucional.

“A publicação de livros é um aspecto fundamental que impulsiona a carreira de todo profissional que lida especialmente com o conhecimento. Para os professores, pesquisadores e acadêmicos em geral, a publicação de livros representa a consagração de uma trajetória de pesquisa capaz de abrir novos espaços de conquistas e relacionamentos profissionais”, afirma a autora. Por essa razão, Adriana acredita que seu livro poderá de fato abrir portas para futuras palestras, núcleos de pesquisa e outros engajamentos profissionais e pessoais.

A análise desenvolvida pela pesquisadora é plural e se destina aos mais diversos públicos, como os profissionais das áreas de Letras, Humanidades, Direito, Sociologia e Comunicação Social, por exemplo.

O assunto tratado no livro “Narrativas de vida de Antígona (Sófocles), Sor Juana e Olympe de Gouges: a Justiça no divã da Análise do Discurso” é de relevância do público leitor em geral. Por esse motivo, a autora afirma que pretende publicar mais edições do livro que possivelmente serão publicadas também em outros idiomas.

Tenho grandes expectativas de que o meu livro possa alcançar mais leitores brasileiros e outros para além das nossas fronteiras. Uma edição em língua estrangeira seria interessante.

Adriana do Carmo Figueiredo é doutora em Estudos Linguísticos pela Universidade Federal de Minas Gerais e mestre em Estudos Literários também pela UFMG. Além disso, é graduada em Letras, bacharel em Direito, advogada inscrita na OAB-MG e especialista em Direito Constitucional.

Adriana relata que conseguiu participar de todas as etapas do projeto editorial do seu livro e que teve todas as sugestões e opiniões aceitas pelos profissionais da Editora Dialética, por isso o resultado a agradou imensamente.

Faz tempo que acompanho as publicações da Dialética, pois é uma editora importante que sempre nos brinda com temas interessantes e estudos de excelência. A equipe de profissionais da Dialética é extremamente atenciosa, generosa e educada.

Adriana do Carmo Figueiredo é doutora em Estudos Linguísticos pela Universidade Federal de Minas Gerais e mestre em Estudos Literários também pela UFMG. Além disso, é graduada em Letras, bacharel em Direito, advogada inscrita na OAB-MG e especialista em Direito Constitucional.

Dessa maneira, a pesquisadora afirma que espera ser parceira da Editora Dialética por longos anos

Você também tem alguma pesquisa ou estudo relevante a ser publicado como livro? Publique você também o seu estudo acadêmico e forneça material didático para a sua área de pesquisa. Clique aqui e converse com um de nossos consultores editoriais sobre como publicar sua tese e/ou dissertação como livro. Ou clique aqui e converse com um dos nossos consultores editoriais sobre como publicar seu artigo científico como capítulo de livro.

Gostou? Compartilhe com mais pessoas!

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp

Inscreva-se em nosso blog.

Acesse, em primeira mão, nossos principais posts diretamente em seu e-mail.

POSTS MAIS RECENTES

Romance, ficção, política e outros temas estão presentes no livro “Sem Trégua: um legado de ensinamentos de como sobreviver à pobreza e à vida profissional no meio político”, da escritora Aracilba Alves da Rocha. Livro publicado pela Editora Dialética será lançado em 8 de julho em João Pessoa

Aracilba Alves da Rocha é uma profissional que vive atualmente em João Pessoa, na Paraíba e possui 40 anos de experiência em administração de empresas públicas. A escritora é Graduada em Engenharia Civil, Especialista em Gerenciamento de Empresas Públicas, Planejamento Urbano, Gestão de Habitação Popular e Finanças Públicas. Além disso, possui vasta experiência em Gerenciamento Executivo, que abrange empresas do Setor Elétrico, Telefonia, Saneamento e Transporte, Finanças Públicas, Administração e Planejamento.

Leia mais »

Escritor, Fernando Couto de Magalhães, publica a obra “Instituto Hawkins e as anomalias do tempo”, ficção científica que conta a história de um paleoantropólogo brasileiro que viaja por diversas partes do mundo em prol de descobertas pré-históricas 

Fernando Couto de Magalhães possui formação em Comunicação Social, é Pós-Graduado em Ciências Humanas – História, Filosofia e Sociologia e possui cursos de extensão em universidades como Harvard e Universidade de Columbia nos campos da História da Globalização, Arqueologia e Museologia. Para o escritor, ser lançado no Brasil como autor de ficção científica é uma realização “incrível”.

Leia mais »

Educadora e Pesquisadora Regina Célia Fernandes da Costa Perpétuo lança livro ”A alfabetização de crianças com diagnóstico de deficiência intelectual: o direito à diferença”, obra que, dentre muitos aspectos, busca chamar a atenção da sociedade para esta realidade.

Regina Célia Perpétuo é Mestra em Educação pela Universidade Nove de Julho – UNINOVE, Pós-graduada (lato sensu) em Gestão pela Universidade Anhembi Morumbi, em Docência do Ensino Superior e em Psicopedagogia pela Faculdade Campos Elíseos, Graduada em Pedagogia pela Universidade Guarulhos – UNG e em Letras pela Universidade Brás Cubas – UBC.

Leia mais »

Quer receber mais conteúdos excelentes como esses de graça?

Inscreva-se para receber nossos conteúdos por email.

Avenida Brigadeiro Faria Lima, 4.221 – 1º andar, Itaim Bibi, São Paulo – SP, 04538-133 // Telefone: (11) 4118-6308